Crise energética

A crise energética ou a crise do jornalismo português.

A Europa sofre neste momento uma crise energética que faz as capas de muito jornais em todo muito mas em Portugal o assunto nem sequer e noticia.

O preço do gaz de que a maioria dos países europeus dependem como principal fonte de energia explodiu nos últimos meses pondo em causa a recuperação da economia europeia mas também a estabilidade dos mercados a nivel mundial.

feed de noticias do google sobre “gas natural”
https://www.bloomberg.com/news/articles/2021-09-27/europe-s-energy-crisis-is-about-to-go-global-as-gas-prices-soar

E qual a informação e que vemos nos jornais nacionais sobre este tema?

Correio da Manha/Lusa
Correio da Manha/Lusa

De facto alguns jornalistas não perderam a oportunidade para ironizar com Bolsonaro sobre uma suposta crise em Portugal, mas esta Bolsonaro errado ou a falar fora de tempo?

https://www.jn.pt/mundo/nao-e-so-no-brasil-bolsonaro-diz-que-portugal-vive-a-quinta-pior-crise-em-150-anos-14200191.html

A crise energética na europa e muito grave e esta relacionada com um aumento de procura energética mas também como as mudanças radicais no sector energéticas que forma impostas no ultimo anos para alcançar as metas de descarbonização.

O Dispatch, uma newsletter de politica mais dedicada a assuntos de Washington, faz disto tema principal de uma das suas edicoes matinais.

https://morning.thedispatch.com/
À medida que as temperaturas começam a cair em toda a Europa, o continente se prepara para uma crise de energia iminente em meio à disparada dos preços e estoques cada vez mais esgotados. Durante meses, os mercados de energia - de gás natural a carbono e recursos renováveis ​​- foram esticados à medida que as economias europeias emergiam dos bloqueios de COVID-19 e aumentavam a demanda.

Agora, os europeus estão questionando a praticidade da transição apressada da União Europeia para longe dos combustíveis fósseis e o compromisso com as emissões líquidas de zero até 2050, apontando para o aumento das contas de energia como indicadores de que os consumidores podem ser forçados a suportar o impacto de seu “Adequado para 55 ”iniciativa climática. A legislação proposta, elaborada como um passo em direção ao objetivo obrigatório da UE de neutralidade climática até 2050, visa cortar as emissões em pelo menos 55% até o final da década.

À medida que a UE muda para fontes de energia mais limpas, os preços do petróleo dispararam, com os futuros do petróleo bruto Brent de referência internacional pairando sobre US $ 80 por barril esta semana, pela primeira vez em três anos. A Espanha, em um esforço para tornar a energia limpa mais acessível durante a transição, declarou recentemente uma resolução de emergência para confiscar e redistribuir cerca de 2,6 bilhões de euros dos lucros das empresas de energia nos próximos seis meses. Grécia e Itália, que também foram duramente atingidas pelo aumento dos preços, também tomaram medidas para subsidiar o custo da energia para os consumidores.

Enquanto isso, o chefe do clima da UE, Frans Timmermans, insistiu que a atual escassez de energia na Europa é uma função de seu fracasso em mudar para energias renováveis ​​mais cedo. “Se tivéssemos o acordo verde cinco anos antes”, disse ele no mês passado, “não estaríamos nesta posição, porque teríamos menos dependência de combustíveis fósseis e gás natural”.
- google translate de https://morning.thedispatch.com/, 8-Oct-21


  

Mas em Portugal a crise de combustíveis no UK faz mais noticia que o inverno gelado a que a Europa se sujeita, com as excepções do Economico-financeiro e a Cor do dinheiro.

De facto a dependência da Alemanha pelo gás natural vindo da Rússia, ainda mais evidente com a politica alemã de de acabar com a utilização de o carvão ou energia nuclear faz abrir o sobreolho a muita gente.

https://www.cleanenergywire.org/factsheets/germanys-energy-consumption-and-power-mix-charts
https://energymonitor.ai/tech/networks-grids/why-the-german-greens-want-to-kill-nord-stream-2

Talvez os Verdes estejam na caminho correto ao ver o Nord 2 como uma ameaça, mas o que eles ainda não explicaram e que como vão aquecer os alemães no inverno sem fazer uso do gás russo!

Mas em Portugal, os jornalistas parecem mais preocupados como o que se passa no UK sobre o Brexit de Boris ou no Brasil sobre a governação de Bolsonaro, e isso reflete a crise o jornalismo em Portugal, ele não existe, e tudo um conjunto de fait-divers, e manutenção de uma retorica ativista de “nós bons, eles maus” num alheamento da realidade , ao que se passa na Europa apenas comparável ao estado Novo.