“Racialized trauma in America”

Este documento foi retirado da Internet do site Whites For Racial Equity e serve de exemplo sobre o quanto paranóica e fora da realidade andam as teorias raciais.

WHITES FOR RACIAL EQUITY
SEPT 12, 2020 SATURDAY MEETING/DISCUSSION
FACILITATED BY BONNIE ROSE FERNANDEZ

https://drive.google.com/file/d/16eXCHVTAw2e-t8Dp99Ca9Jzhs-mDKveR/view

#1 – Supremacia Branca do corpo !!

#3 – Podemos concordar com isto

O trauma não foi inventado em 1619, quando os primeiros africanos escravizados chegaram à América. Por milhares de anos, seres humanos assassinaram, massacraram, torturaram, oprimiram, abusaram, conquistaram, escravizaram e colonizaram uns aos outros.

Muitos dos ingleses e outros europeus brancos que fugiram para a América foram vítimas ou observadores em primeira mão dessa brutalidade, ou estavam escapando da pobreza, da fome e da Grande Peste … isto é, profundamente traumatizados … e trouxeram seu trauma com eles.

#4 – agora a parte totalmente “cientifica”

Foi apenas no final de 1600 que os poderosos americanos brancos começaram a formalizar uma cultura da supremacia do corpo branco, uma cultura que espalhou séculos de traumas corporais por milhões de corpos negros

Os conceitos de brancura, escuridão e raça foram, portanto, “inventados”

#5 – Aparentemente supremacia branca do corpo e uma coisa..

“Nas últimas três décadas, temos tentado sinceramente abordar a supremacia do corpo branco na América com razão, princípios e ideias – usando o diálogo, fóruns, discussões, educação e treinamento mental. Mas a destruição generalizada de corpos negros continua …

“Não é que tenhamos sido preguiçosos ou falsos. Mas concentramos nossos esforços na direção errada. Tentamos ensinar nossos cérebros a pensar melhor sobre raça.

Mas a supremacia do corpo branco não vive em nossos cérebros pensantes. Ele vive e respira em nossos corpos. ”

Não é que tenhamos sido preguiçosos ou falsos. Mas concentramos nossos esforços na direção errada. Tentamos ensinar nossos cérebros a pensar melhor sobre raça.

Mas a supremacia do corpo branco não vive em nossos cérebros pensantes. Ele vive e respira em nossos corpos. ”

Os slides foram traduzidos através do google translade, portanto o português pode estar um pouco estranho.